• ABII

Como os países da Europa estão lidando com a IoT?


Você já deve ter ouvido falar sobre a IoT (Internet das Coisas) e como a tecnologia está revolucionando nosso dia-a-dia e desvendando um novo futuro. Caso este termo ainda seja novo, IoT é a conexão entre objetos físicos e o usuário, a partir de sensores inteligentes e software ligados à internet.

Quando falamos sobre “coisas”, estamos englobando todas as coisas do mundo, desde smartphones e câmeras de segurança até um marca-passo, que avisa o médico assim que detecta alguma anormalidade no paciente.

A IIoT, ou Internet Industrial das Coisas, é a Internet das Coisas aplicada dentro das indústrias, permitindo aquisição e compartilhamento de dados em grande velocidade, garantindo uma eficiência nunca vista antes. O foco da IIoT é a produtividade e, consequentemente, o lucro.

Um estudo da Accenture, empresa global de consultoria de gestão, Tecnologia da Informação e Outsourcing, analisou como os países da Europa, berço da Revolução Industrial, estão lidando com este novo olhar digital, conectividade e integração entre pessoas, processos e internet.

A seguir, vamos resumir os principais resultados desta pesquisa a fim de mantê-lo por dentro do que acontece na Europa em relação à Revolução 4.0.

Países estudados e investimentos em IIoT

O estudo da Accenture explora como as indústrias europeias estão se familiarizando às iniciativas de investimento em IIoT e quais benefícios elas esperam a curto, médio e longo prazo. Para isso, foram entrevistados 250 executivos de nível CXO dos países França, Alemanha, Países Nórdicos, Itália, Reino Unido, Benelux, Áustria e Suíça.

Os resultados apontam que 72% das empresas aumentarão seus gastos com IIoT nos próximos três anos, enquanto 60% das empresas já estão envolvidas em iniciativas de IIoT. Porém mais da metade ainda em estágios iniciais de implantação ou com projetos em andamento.

69% das empresas tem como maior impulsionador a redução de custos, porém logo em seguida encontramos a melhoria do produto e o desenvolvimento de novos modelos de negócio, ou seja, o investimento em IIoT sendo canalizado para impulsionar o crescimento da linha superior em vez de apenas reduzir custos.

As decisões de investimento para soluções de IIoT são feitas principalmente dentro departamentos de TI, mas executivos de linha de negócios também têm influência considerável.

Tendência de investimento em IIoT por setor e país

Quanto à tendência de investimento por setor, os resultados nos mostram que:

. 63% das indústrias automotivas têm projetos em andamento e o objetivo principal disto é a redução de custos e a melhora da experiência do cliente e qualidade do produto. Metade destas empresas utilizam companhias de serviços de TI como auxiliares neste desenvolvimento.

. 56% das indústrias de processos já iniciaram seus investimentos em IIoT impulsionados pelo departamento de TI. 67% delas querem aumentar ainda mais este investimento com o objetivo de reduzir os custos. A maioria das empresas está fortemente envolvida com consultorias, e 81% das pesquisadas precisam de assistência em termos de design e prototipagem.

Quanto à tendência de investimento por país europeu, foi apontado que:

. As empresas francesas, além de buscarem a redução de custos, também procuram investir na melhoria da qualidade do produto através da IIoT. Já as indústrias italianas se preocupam, acima de tudo, em melhorar a servitização de ativos e a gestão de cadeia de suprimentos.

. 83% das indústrias fixas nos países nórdicos já estão executando iniciativas em IIoT, enquanto os países do bloco econômico Benelux são os menos propensos a este tipo de investimento.

. Áustria e a Suíça têm 77% de suas indústrias envolvidas com empresas de serviços de TI em busca de novas soluções de design e prototipagem. Enquanto isso as indústrias do Reino Unido também precisam deste tipo de auxílio, mas estão menos propensas a trabalhar com terceirização de mão-de-obra vinda de países estrangeiros.

. As indústrias alemãs não veem o desenvolvimento de produtos como um gatilho para o investimento em IIoT porque, de todos os países em que este estudo foi feito, elas são as mais sensíveis quanto a proteção de dados e questões de privacidade.

Perspectivas futuras no investimento em IIoT

A preocupação com a modernização dos processos industrias em relação à internet industrial das coisas é evidente. 71% dos executivos entrevistados pretendem ter um retorno do investimento em 1 a 3 anos e, para isso, devem considerar alguns fatos, dentre eles:

  • Investir em capacidades internas para desenvolver e implementar soluções de IIoT ou interagir com terceiros para acelerar todo o processo. Ou seja, a curto-prazo, devem apostar em projetos de menor escala utilizando auxílio de startups, por exemplo.

  • A médio-prazo, devem desenvolver processos inteiros que tragam eficiência à empresa.

  • A longo-prazo, investir em especialistas para desenvolver novos produtos ou estratégias e assim criar novas receitas.

Pioneiros nesta busca pela conectividade entre indústria e internet, como a empresa suíça ESAB e a inglesa Rolls Royce, já estão vendo um retorno muito satisfatório de seu investimento. Outras indústrias famosas como a Phillips e BMW, Renault e Mercedes-Benz estão trabalhando fortemente em busca de modernização para se manterem no mercado.

Investir em internet industrial das coisas é o ponto chave para manter sua empresa bem sucedida na 4ª Revolução Industrial. Com os resultados obtidos pela Accenture, pudemos notar que as indústrias europeias já entraram de cabeça em busca desta atualização. Para saber mais sobre o assunto e, principalmente, entender quais as tendências de investimento no Brasil e como ele está se preparando para esse panorama competitivo, continue lendo nosso blog.

#investimento #Internetdascoisas #europa #Internetindustrial #accenture #IIOT #IOT

114 visualizações

CONTATO

  • LinkedIn ícone social
  • Instagram
  • Facebook Social Icon

© 2020 por Associação Brasileira de Internet Industrial