• Genara Rigotti

Qual é o profissional ideal para a indústria 4.0?


A adaptação sempre foi uma característica marcante na espécie humana, habilidade essa que permitiu que chegassem ao século 21 com um imenso potencial tecnológico, rompendo fronteiras continentais por meio da utilização de tecnologias. A indústria é um reflexo do conhecimento humano, replicado em larga escala para suprir as necessidades de consumo da população. O mundo vive hoje o início de sua quarta revolução industrial (indústria 4.0) e se prepara para novos grandes saltos tecnológicos.


A necessidade de adaptação é extremamente notável ao se explorar o perfil profissional dos colaboradores industriais, eles sempre precisaram se reinventar e agora uma vez mais vivem essa necessidade, por isso se questionam: Qual de fato é o perfil profissional exigido para a indústria 4.0?


Skills 4.0 - Habilidades para a indústria


Recentemente o Centro de Inovação Sesi (CIS) Longevidade e Produtividade, parte integrante do Sistema Fiep em cooperação técnica com o Observatório Sistema Fiep, realizou o estudo Skills 4.0: Habilidades para a Indústria e nele demonstrou de forma bastante detalhada que perfil profissional demanda a indústria 4.0.


Baixe o livro completo "Skills 4.0 - Habilidades para a indústria"

livro_skills4.0
.pdf
Download PDF • 12.98MB

Baixe o mapa resumido com as habilidades

mapa_skills4.0
.pdf
Download PDF • 2.33MB

A pesquisa, que foi dividida em 4 macroetapas, apresenta uma visão panorâmica do cenário, abordando desde os conceitos técnicos da indústria 4.0 às habilidades fundamentais de cada área da produção. Confira:


Pesquisa e sistematização dos conceitos fundamentais


A primeira etapa destaca uma visão abrangente da indústria 4.0, abordando o momento atual como um todo e não apenas a profissionalização de cada indivíduo. Aqui observa-se o que de fato é a quarta revolução industrial a importância da nova mentalidade.


A chegada dos computadores nos anos 70 modificaram completamente a forma das empresas fazerem negócios, iniciando o pontapé inicial do que viria a ser a indústria 4.0, afinal nota-se os primeiros indícios do processo de digitalização das informações.


A chegada do século 21 trouxe consigo um grande avanço tecnológico, mas é na segunda década que o conceito foi de fato estabelecido, inicialmente pela Alemanha e seguido pelos Estados Unidos. Dá-se o nome de indústria 4.0 ou então “fábrica inteligente” ao processo de digitalização e manuseio de toda ou qualquer informação dos processos de produção, destacam-se tecnologias como a IoT, computação em nuvem e a inteligência artificial.


Qualificar-se para a atuação nesse meio é uma necessidade que já demonstra claros sinais no mundo todo, em que se nota a crescente demanda por profissionais que possuam as habilidades certas ou também chamado de “hard e soft skills”.


Elaboração de diagnóstico sobre o tema


A mudança acarretada pela indústria 4.0 vai além das fábricas e alcança a cultura mundial, principalmente na área acadêmica, onde se encontram as mais diversas publicações de renomados autores.


Em um levantamento realizado em setembro de 2019 nas bases de dados do Web of Science e Scopus (consideradas referências sólidas no meio científico) 2.435 artigos destacavam a indústria 4.0, assim como as competências demandadas pela área.

Os artigos abordam as mais diversas temáticas que envolvem a indústria como a digitalização das informações, a inovação, competências profissionais e todas as tecnologias envolvidas.


Os temas que mais se destacam são Indústria 4.0 e Design, seguido por Gestão, Fábrica que Aprende, Futuro, Realidade Aumentada, Educação e outros temas que passaram a ganhar destaque recente como Big Data e Realidade Virtual. Os países de maior destaque no meio acadêmico são os mesmos precursores da abordagem do tema, Alemanha e Estados Unidos. Além deles, outros países compõem essa lista como a Rússia, Áustria, China e o Brasil, que vem se destacando nos últimos anos.


O mais influente nome do meio acadêmico é Kagermann H., seguido por Wahlster W., Abele E., a Comissão Europeia e dezenas de outros renomados estudiosos da indústria 4.0. O Brasil conta com 74 grupos de estudos divididos pelos estados, com maior concentração na região sudeste. A IFSP é a instituição com o maior número de grupos, mantendo ativos 5 deles. A Ciência da Computação se destaca como a área de estudo com maior ênfase no setor.


Identificação e sistematização de habilidades para a indústria 4.0 por pilar tecnológico


O detalhamento das habilidades foi categorizado por dois parâmetros, as habilidades relacionadas à hierarquia e a categorização temática das habilidades.


Hierarquia:

  • Habilidades nucleares: Referem-se ao pilar tecnológico da indústria 4.0 envolvido.

  • Habilidades orbitais: São habilidades que complementam as nucleares e não podem ser classificadas como temáticas pois são mais abrangentes, como a comunicação.

Técnicas:


São classificadas em 3 níveis: sociocomportamentais, gestão e conhecimentos técnicos.

O estudo detalha todas as habilidades envolvidas nas áreas de Big Data, Cibersegurança, Computação na nuvem, Integração de sistemas, IoT, Manufatura, Realidade Aumentada, Simulação e Sistemas autônomos.


Integração e consolidação das habilidades para a indústria 4.0


A última etapa do estudo consiste na consolidação dos dados obtidos na pesquisa, em que se traça os perfis dos profissionais de forma sistêmica destacando as habilidades técnicas: sociocomportamentais, de gestão e conhecimentos técnicos mais presentes em cada uma das áreas da indústria 4.0.


A importância de tais habilidades convergem em muitos pontos, o que demonstra a clara tendência de uma “cultura digital” nas indústrias, complementada por um aprofundamento em áreas específicas. Nas habilidades sociocomportamentais as mais relevantes são a comunicação e a mentalidade digital.


Nas habilidades de gestão, encontram-se competências em gerir pessoas e projetos, e no conhecimento técnico, a importância da experiência em programação e análise de dados.



A ABII e a Indústria 4.0


Durante o ABII Live Talks - Pessoas no Mundo VUCA, realizado no dia 1º de julho, os participantes tiveram a oportunidade de debater as perspectivas profissionais da indústria 4.0. Você pode conferir na íntegra o debate realizado pelos profissionais no vídeo abaixo:



Para continuar se atualizando com as novidades que envolvem o mundo tecnológico industrial, continue acompanhando o blog, ou se preferir, associe-se à ABII.



Sobre a ABII


A Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), fundada em agosto de 2016, atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da indústria 4.0 e da IIoT (Industrial Internet of Things). Fomenta o debate entre setores privado, público e acadêmico, a colaboração e o intercâmbio tecnológico e de negócios com associações, empresas e instituições internacionais, a partir do desenvolvimento de tecnologias e inovação. A ABII é signatária do Acordo de Cooperação com o IIC (Industrial Internet Consortium), consórcio criado em 2014, nos Estados Unidos, com o mesmo fim, pela IBM, GE e Intel. Buscando inserir o Brasil nesta revolução, Pollux, FIESC/CIESC e Nidec GA (antiga Embraco) uniram-se para fundar a ABII.

Mais informações: abii.com.br ou pelo e-mail contato@abii.com.br


#Pessoas

#gestaodepessoas

#produtividade

#desenvolvimentopessoal

#industria40

#IIoT

#internetindustrial

#ABII

#tecnologia

162 visualizações

CONTATO

  • LinkedIn ícone social
  • Instagram
  • Facebook Social Icon

© 2020 por Associação Brasileira de Internet Industrial