BLOG

  • Genara Rigotti

BNDES apoia implantação da indústria 4.0 e ABII é parceira na divulgação de produtos e serviços


Para apoiar o aumento da produtividade do setor industrial o BNDES criou, em 2020, o produto BNDES Créditos Serviços 4.0. Em complemento à linha BNDES Finame Máquinas 4.0, que financia aquisição de máquinas e equipamentos com tecnologia 4.0 embarcada, ele provê às empresas recursos para contratar serviços tecnológicos credenciados pelo BNDES, associados, principalmente, às tecnologias habilitadoras para a Indústria 4.0.


“Com esse instrumento, tanto apoiamos a formação de um ecossistema transformacional, pois oferecemos os recursos necessários para as empresas que pretendam transformar suas linhas produtivas, quanto estimulamos a entrada de novos fornecedores de serviços tecnológicos, ao criar as condições necessárias para estímulo à demanda por sua atividade”, observa Tiago Peroba, chefe do Departamento de Clientes e Relacionamento Institucional da Área de Operações e Canais Digitais do BNDES.


Em novembro de 2020 a ABII realizou um workshop exclusivo para associados, em que representantes das empresas puderam tirar suas dúvidas diretamente com os representantes do BNDES. Agora, a ABII está sendo parceira na divulgação dos produtos e serviços do BNDES, dentro da missão de fortalecer e acelerar a indústria 4.0 e a IIoT no Brasil.


Serviços credenciados


As normas relativas ao credenciamento foram publicadas pelo BNDES em forma de regulamento que está disponível para consulta em seu site (BNDES Crédito Serviços 4.0). O banco também produziu tutoriais que podem orientar todo processo de credenciamento aos fornecedores interessados, como, por exemplo, um vídeo que explica todo passo a passo sobre como fazer um credenciamento. Confira:

Segundo o regulamento, poderão ser credenciados serviços tecnológicos aderentes as seguintes categorias: internet das coisas (IoT); manufatura enxuta; eficiência produtiva e energética; digitalização; manufatura avançada; tecnologias industriais básicas; e o desenvolvimento tecnológico de novos produtos e processos.


Uma vez credenciados, os serviços, que podem se caracterizar por projetos com intervenção única ou contínuos, passam a constar do catálogo do banco e podem ser oferecidos ao mercado com a possibilidade de financiamento pela linha.

Além dos investimentos necessários para a contratação do serviço o produto prevê ainda, a concessão adicional de capital de giro, cujo valor pode chegar a de 20% do total da operação. Nesse caso, a única exceção são as administrações públicas diretas e indiretas, de estados e municípios.


Até o início de fevereiro deste ano, o catálogo do BNDES contava com 50 serviços tecnológicos voltados para a transformação digital disponíveis no portal do Credenciamento FINAME (CFI) do BNDES. Esses serviços são prestados por 22 fornecedores habilitados. A lista de fornecedores é periodicamente atualizada e pode ser acessada na página do produto, no Portal do BNDES: https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/financiamento/produto/bndes-credito-servicos-4.0


Como acessar a linha


Para as organizações interessadas em usar o produto do Banco para apoiar seus processos de transformação digital e produtiva o caminho passa pela consulta a uma das instituições credenciadas como agentes financeiros do BNDES. Tais instituições operam com recursos dos chamados produtos indiretos do BNDES, caso do BNDES Crédito Serviços 4.0. A relação completa de agentes financeiros credenciados pode ser consultada clicando neste link.


Segundo o regulamento, o produto está disponível para empresas de todos os portes com sede no país, produtores rurais e administrações públicas diretas e indiretas. Em qualquer caso, o BNDES apoia até 100% do valor do Serviço Tecnológico.

A exemplo de outras operações indiretas, a taxa de juros é formada por três elementos.


O primeiro é o custo financeiro, que pode ser uma de três taxas: Taxa de Longo Prazo (TLP), definida mensalmente e com a cotação disponível no site do BNDES; Taxa Fixa do BNDES (TFB), taxa pré-fixada que permite a previsibilidade das prestações aos clientes desde a contratação da operação; e SELIC, definida pelo Banco Central do Brasil. A ele se acrescenta a remuneração do BNDES, um percentual fixo de 0,95% ao ano. Por fim, a remuneração do agente financeiro, negociada diretamente com ele e que pode variar em função do perfil do cliente e do risco de crédito da operação.


Sobre a ABII


A Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), fundada em agosto de 2016, atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da indústria 4.0 e da IIoT (Industrial Internet of Things) no Brasil. Fomenta o debate entre setores privado, público e acadêmico, a colaboração e o intercâmbio tecnológico e de negócios com associações, empresas e instituições internacionais, a partir do desenvolvimento de tecnologias e inovação. A ABII é signatária do Acordo de Cooperação com o IIC (Industrial Internet Consortium), consórcio criado em 2014, nos Estados Unidos, com o mesmo fim, pela IBM, GE e Intel. Buscando inserir o Brasil nesta revolução, Pollux, Fiesc/Ciesc e Nidec GA (empresa detentora da marca Embraco) uniram-se para fundar a ABII.