BLOG

  • Genara Rigotti

Como foi o painel sobre liderança feminina na tecnologia


Se você perdeu a transmissão ao vivo do painel sobre "Liderança Feminina na Tecnologia" na última quarta-feira, ainda é possível assistir ao vídeo no YouTube da Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII) ou diretamente no link abaixo. Neste material, também separamos alguns pensamentos das convidadas apenas para instigar a sua curiosidade.


::: Conheça mais sobre o currículo das convidadas Jordana Arruda e Cristiane Iata



Assista ao painel completo:

::: Veja como foi o painel de abertura do ABII Live Talks com o mercado

::: Veja como foi o painel sobre novos modelos de negócio

::: Veja como foi o painel de tecnologias para geração de valor

:: Veja como foi o painel sobre pessoas no mundo VUCA



Confira algumas reflexões das convidadas:


Jordana Arruda

Customer Success na Pollux e participante do Industry4Her 2020


"Não precisamos só de empatia com as mulheres, mas com homens também. Unidos conseguiremos ter melhores resultados nas organizações do que só pensando a questão do gênero. Sempre precisamos aprender e aplicar mais empatia. Quanto mais você coloca em prática, melhor os resultados que você obtém."


"No ambiente corporativo a competição muitas vezes deixa de ser saudável. As mulheres criam uma competição com as outras mulheres, o que não cabe mais hoje em dia."


"Quando a mulher decide pela área da tecnologia, é preciso muito mais que uma vontade interna. É preciso o incentivo. Meu avô olhava para o céu, via um avião e dizia que eu ia projetar aquele avião. Sem dúvidas, é muito importante que se a menina demonstrara vontade para qualquer que seja a profissão, ela precisa ter o apoio da família."

"Estamos vivendo uma transformação digital e muito se fala do consumidor 4.0: aquele consumidor que quer tudo na hora, quer produtos personalizados, quer bom atendimento. Se a gente pensar em tudo isso, a diversidade é fundamental para atender o mercado e você estará construindo um produto muito mais adequado para o seu consumidor final, se tiver diversidade na sua organização. Isso significa resultados melhores para a empresa também. Não é só uma questão filosófica é business."


"Não sinta medo da vulnerabilidade, de dizer que não sabe, não tenha medo de errar, não tenha medo de ter ambição. Sinta medo de ficar estagnada, de ficar desmotivada, de se transformar em alguém só para ser aceita. Sinta medo de não ser a melhor versão que você poderia se transformar."


Cristiane Iata

Doutora no tema liderança feminina em empresas de tecnologia, mestre em engenharia mecânica e engenheira eletricista.


"Quando se fala de divisão de papeis entre homens e mulheres, eles foram definidos a partir de características físicas: homens mais fortes fisicamente e mulheres mais frágeis, capazes de gerar um filho, amamentar um criança... Quando isso vem para as profissões, homens tem características de mais assertivos, objetivos, focados em resultados e mulheres mais doces, amáveis e cuidadoras. E aí as profissões ligadas a ciência, tecnologia, engenharia e matemática tem raciocínio lógico, são mais objetivas e são para o homens, segundo estes papeis impostos socialmente. Mas com empresas mais voltadas para o conhecimento e tecnologia justifica dividir trabalho entre homens e mulheres a partir de atributos físicos? Estas estruturas que formaram estes papeis não se sustentam mais hoje."


"Após terminar a minha tese de doutorado eu passei a olhar as pessoas como seres humanos com pólos masculino e feminino que precisam ser desenvolvidos para evoluirmos juntos, como sociedade."


"Quando as influências na liderança feminina são positivas, se tornam facilitadores, quando são negativas, se tornam barreiras. E são três influências principais: sociais, organizacionais e individuais. E a dimensão individual eu acho muito importante, porque somos nós que criamos as barreiras. Todas as mulheres que eu entrevistei na minha tese e que estavam em posição de liderança foram protagonistas de suas histórias."

"Qualquer coisa que faz sentido para a sua vida, você precisa agir naqueles cinco segundos, que é quando vem aquela explosão para ação. Se você não usar, simplesmente vai embora... você vai achar um monte de desculpas para não fazer."



Sobre a ABII

A Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), fundada em agosto de 2016, atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da indústria 4.0 e da IIoT (Industrial Internet of Things) no Brasil. Fomenta o debate entre setores privado, público e acadêmico, a colaboração e o intercâmbio tecnológico e de negócios com associações, empresas e instituições internacionais, a partir do desenvolvimento de tecnologias e inovação. A entidade tem 47 empresas associadas. A ABII é signatária do Acordo de Cooperação com o IIC (Industrial Internet Consortium), consórcio criado em 2014, nos Estados Unidos, com o mesmo fim, pela IBM, GE e Intel. Buscando inserir o Brasil nesta revolução, Pollux, FIESC/CIESC e Embraco uniram-se para fundar a ABII.

Mais informações: comunicacao@abii.com.br contato@abii.com.br

#AbiiLiveTalks

#liderançafeminina

#Pessoas

#Tecnologia

#Industria40

#ABII

#Negócios

#Industria

#IIoT

Leia também

::: Indústria 4.0 será fundamental no momento da retomada pós-pandemia

::: Como a pandemia impacta e acelera novos modelos de negócio

::: Como o uso de tecnologias vai impactar a geração de valor dos negócios pós-pandemia

::: Quais são as habilidades necessárias para o profissional do mundo VUCA

::: Como aumentar participação de mulheres na liderança de empresas de tecnologia

CONTATO

  • LinkedIn ícone social
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook Social Icon

© 2020 por Associação Brasileira de Internet Industrial