BLOG

  • Genara Rigotti

Conheça as tecnologias habilitadoras da indústria 4.0 e algumas aplicações


O conceito da indústria 4.0 envolve as inovações tecnológicas nos campos de automação e tecnologia da informação para manufatura. Com o objetivo de criar processos mais rápidos, flexíveis e eficientes, a quarta revolução industrial promove a união dos recursos físicos e digitais, conectando máquinas, sistemas e ativos a fim de produzir itens de maior qualidade a custos reduzidos.


O grupo das principais tecnologias envolvidas no processo de digitalização das empresas é chamado de tecnologias habilitadoras para indústria 4.0. Conheça mais a respeito de cada uma delas!


1. Big Data e Analytics


Na era da transformação digital, recebem destaque aqueles que melhor manuseiam e exploram as informações que possuem. Assim funciona com o Big Data e o Analytics, tecnologias que permitem aprender sobre processos, qualidade e consumidores ou clientes. São tecnologias acessíveis para todos os níveis de empresas, estando disponíveis por implementação direta ou então por fornecedores especializados.


2. Robôs autônomos


Geralmente acompanhados de tecnologias complementares como a Inteligência Artificial e a IIoT, os robôs autônomos são peça-chave na manutenção de uma indústria 4.0. As tecnologias que os acompanham permitem um aprendizado automatizado, que faz com que novas estratégias de produção sejam adotadas quando necessário, sem a interferência direta de um humano.


Por estarem conectados à rede continuamente, os equipamentos enviam dados que adicionados aos bancos de informação da empresa também servem para enriquecer o Big Data e respaldar nas decisões ligadas à produção.


3. Simulação


Sistemas de simulação são muito importantes e impactam diretamente na redução de custos da indústria. É muito mais barato fazer testes e experimentos no computador do que no mundo físico. Isso requer modelos acurados do mundo físico, mas é cada vez mais acessível.


4. Integração de Sistemas (Vertical e Horizontal)


Conceito diretamente ligado à indústria 4.0, a Integração Vertical e Integração Horizontal reflete o modelo de conectividade dos equipamentos de uma indústria. O modelo de Integração Vertical respeita uma ordem hierárquica de informações, do chão-de-fábrica à camada do ERP (sistema de gestão da empresa, da parte financeira, comercial, estoques, RH etc.). Possibilita a redução de redundância de dados – não é mais necessário cadastrar o produto no CLP (controlador lógico programável) e no ERP, pois o cadastro é compartilhado entre os dois. Reduzir a redundância diminui as chances de contradição da informação entre diferentes níveis, pois podemos definir onde reside a “informação verdadeira” em cada caso.


A Integração Horizontal permite que a empresa use diferentes sistemas, cada um especializado em uma função, mas que eles funcionem coordenadamente. O sistema de manutenção compartilha os dados dos ativos da empresa com o sistema de controle de produção, que por sua vez conversa com o de gerenciamento de energia. A informação flui rápida e corretamente entre eles, e cada um pode cumprir de maneira eficiente suas funções.


5. Internet Industrial das Coisas


A Internet Industrial das Coisas é uma das tecnologias com o maior potencial em termos de inovação, capaz de integrar toda a estrutura maquinaria de uma indústria. Utilizando-se de sensores de monitoramento que são independentes entre si, a tecnologia permite conhecer o estado de cada máquina e alimentar o Big Data em tempo real. Pode ser utilizado para validar modelos de simulação, e calibrar gêmeos ou sombras digitais.

Essas informações obtidas são muito importantes, pois podem indicar os rumos da gestão operacional, permitindo otimizações que reduzam o custo operacional e ao mesmo tempo aumentem a produtividade.


6. Segurança Cibernética


Uma organização moldada nos padrões da indústria 4.0 precisa trabalhar no mais alto padrão de segurança. Isso é importante porque uma maior conectividade e integração aumentam os riscos de problemas ou ataques alastrarem-se na empresa toda, com consequências econômicas, de segurança, de qualidade ou mesmo de privacidade.


As ações para aumentar o nível de segurança incluem criptografia forte, separação dos sistemas em camadas bem definidas, restrição da troca de dados entre sistemas apenas àqueles estritamente necessários, adoção de protocolos de autenticação e autorização seguros e a realização regular de testes de segurança.


7. Computação em Nuvem


A Computação em Nuvem traz inúmeras vantagens às organizações que a utilizam e os benefícios são notáveis. A tecnologia elimina a necessidade da existência de servidores locais, o que por si só já se mostra altamente rentável, já que haverá economia de custos com equipamentos e equipe responsável pela sua manutenção. Ao contrário do que muitos pensam, os dados também ficam mais protegidos em relação a invasões e perda de dados, já que são empresas dedicadas a prover os serviços que cuidam disso.


Outra vantagem significativa é a possibilidade de se ter acesso rápido e seguro das informações de qualquer lugar do mundo e por qualquer dispositivo (claro que protegidos conforme citado no item da segurança cibernética). Essa praticidade auxilia o trabalho da gestão e dos colaboradores externos, e a critério da empresa, também aos clientes e fornecedores.


A relação custo/benefício se mostra vantajosa, pois a concorrência entre os grandes provedores tornou o custo bem atrativo.


8. Manufatura Aditiva


A Manufatura Aditiva possui uma adoção crescente nas indústrias, em especial após o surgimento da Impressora 3D. Consiste em fabricar peças sem remover material de uma matéria-prima inicial (como na usinagem), mas adicionando material para criar a peça desejada.


A tecnologia permite transformar projetos digitais em objetos físicos. É ideal para a fabricação de protótipos e pequenos lotes, mas cada vez mais vemos produção em lotes maiores especialmente de peças com geometria complexa.


Existem equipamentos com uma gama muito variada de material de trabalho, tamanho, qualidade e tecnologia, e podem atender desde projetos mais simples, pontuais, até produção em massa.


9. Realidade Aumentada


A Realidade Aumentada adiciona elementos virtuais a imagens de objetos reais (quem já jogou Pokémon GO viu isso na prática). Tem aplicação importante em treinamentos e logística interna. Pode ser implementada com o uso de óculos especiais ou então com o auxílio de tablets ou celulares.


Acompanhada da inteligência dos softwares de simulação, a Realidade Aumentada possibilita saber visualmente o resultado de uma ação, antes mesmo que ela ocorra. É uma ferramenta altamente eficaz no suporte ao conhecimento, que permite o aprendizado de uma ferramenta específica, sem que haja a necessidade de comprar o equipamento de fato.


É bem acessível, com alguns softwares estando disponível inclusive em versões gratuitas.


Este material foi produzido com curadoria de Paulo Narciso Filho, CEO da HarboR, empresa associada da ABII.

ABII e a Indústria 4.0


A ABII acredita que a base para o progresso é o conhecimento, por isso faz dessa necessidade uma missão contínua, que traz propósito à associação. A indústria 4.0 já é uma realidade no Brasil e seus resultados são notáveis por aquelas empresas que já aderiram às suas tecnologias.

A ABII te convida para associar-se e fazer parte dessa revolução na indústria nacional. Para que você possa interagir com outros associados, compartilhar cases e aprender mais, por meio de parcerias sólidas e duradouras.

A associação te convida também a continuar acompanhando o blog, para ficar por dentro de informações valiosas, que serão importantes para a trajetória de sucesso de seu negócio.



Sobre a ABII

A Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), fundada em agosto de 2016, atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da indústria 4.0 e da IIoT (Industrial Internet of Things). Fomenta o debate entre setores privado, público e acadêmico, a colaboração e o intercâmbio tecnológico e de negócios com associações, empresas e instituições internacionais, a partir do desenvolvimento de tecnologias e inovação. A ABII é signatária do Acordo de Cooperação com o IIC (Industrial Internet Consortium), consórcio criado em 2014, nos Estados Unidos, com o mesmo fim, pela IBM, GE e Intel. Buscando inserir o Brasil nesta revolução, Pollux, Fiesc/Ciesc e Nidec GA (antiga Embraco) uniram-se para fundar a ABII. #tecnologia

#indústria

#indústria40

#ABII

#IIoT

#Bigdata

#Analytics

#Robôsautônomos

#Simulação

#Conectividade

#SegurançaCibernética

#ComputaçãoemNuvem

#ManufaturaAditiva

#RealidadeAumentada

CONTATO

  • LinkedIn ícone social
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook Social Icon

© 2020 por Associação Brasileira de Internet Industrial