BLOG

  • Genara Rigotti

Entrevista: Robson Klug, líder do GT de Tecnologia da ABII


Robson Klug atua na gestão de produto na área de manufatura da TOTVS, com ênfase na transformação digital e industrial 4.0, como Product Owner. Na empresa já passou por diversos cargos focado no desenvolvimento de inovações de software para vários segmentos. Com graduação em automação industrial pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, pós graduado em Gestão de Projetos pela Unisociesc e com MBA em Gestão Empresarial pela FGV, ocupou diversos cargos na área de desenvolvimento de software e automação industrial. Em Portugal trabalhou por 2 anos em uma equipe de inovação e automação industrial com aperfeiçoamento profissional em Leiria (Portugal) e Vierzon (França). Na Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), atua como líder do Grupo de Trabalho (GT) de Tecnologia, de forma totalmente voluntária.


Nesta série de entrevistas você vai conhecer melhor os líderes dos GTs da ABII. É uma forma de inspirar e estimular a participação neste movimento. A ABII completou quatro anos de fundação em agosto deste ano e atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da indústria 4.0 e da IIoT (Industrial Internet of Things) no Brasil. Boa leitura!


::: Confira todas as entrevistas com os diretores e líderes de GTs da ABII


Conte sobre sua trajetória profissional. Como foi o início e como é hoje?

Klug - Iniciei em uma pequena empresa de desenvolvimento de software em 1993, na mesma época em que fiz um curso técnico em processamento de dados. Trabalhei por quase 5 anos nesta empresa. Após esta experiência, iniciei outro curso técnico de eletrotécnica e a trabalhar em uma empresa de desenvolvimento de software industriais. Desenvolvendo supervisores e programação de CLP´s. Nesse período tive oportunidade de conhecer grandes empresas (SKOL-BRAHMA DF, Fisher SC, Tintas Renner SP, etc.), nas quais eu fui para colocar em produção, projetos de automação. Por volta de 2001 comecei um curso superior de automação industrial pelo CEFET-PR. Ao final do curso (2002), fui para Portugal trabalhar em uma empresa na área de automação industrial (Tecnirolo). Foram 2 anos de muita aprendizagem, trabalhando com desenvolvimento de software, programação CLP focado em moldes e desenho industrial. Voltando para o Brasil em 2004, iniciei minha jornada na Logocenter (atual TOTVS). Passei por áreas de desenvolvimento de vários módulos, focado sempre em projetos e contato direto com os clientes. Já se vão 16 anos trabalhando na TOTVS, me atualizando e reinventando ao longo desses anos. E o atual desafio como Product Owner no segmento de manufatura da TOTVS, é gerar valor e produtividade para as indústrias através de soluções inovadoras.


Você continua estudando? Como o estudo se encaixa na sua rotina atual?

Klug - Estudo deve ser uma constante. Por isso, tento manter uma rotina para agregar conhecimento. Aproveito muito os materiais selecionados com qualidade na internet. Seja em blogs, canais de YouTube e plataformas de aprendizagem. As lives e webinars também me ajudam com ricas experiências que com certeza fazem a diferença.


Qual foi o momento de maior aprendizado profissional que você teve?

Klug - Acredito que o meu maior aprendizado profissional é o atual momento que estou passando. São vários projetos que trazem muitas informações e novas ferramentas, devido ao período de pandemia que estamos passando. Sejam projetos internos, fundamentados em UX (experiência de usuário) assim como ferramentas já consolidadas de parceiros. É um momento que as indústrias precisam de inovações mais do que nunca.


Teve alguma oportunidade que você deixou passar e se arrepende? Ou ao contrário, que você abraçou e só depois percebeu o quanto ela mudou o roteiro da sua vida?

Klug - Já me deparei com algumas situações em que se figurava uma oportunidade. E em muitas delas acabei não embarcando. Arrependimento? Acredito que não seja essa a palavra. Mas com certeza fica aquela pergunta "como seria se?". Entretanto, entendo que são escolhas que todos já tivemos que fazer um dia. Mas seja qual o caminho escolhido, devemos trilhar da melhor forma possível.


Uma dica para um jovem que está iniciando sua jornada profissional.

Klug - Aproveite e experimente muito para encontrar sua motivação. Seja curioso, persistente e não desista nos problemas e situações que virão pela frente. E muito importante, invista nos relacionamentos profissionais. Por fim, a busca por conhecimento constante será mais do que um diferencial, será uma necessidade.


Como você chegou a ABII e começou a participar do GT? É uma atividade voluntária: como encontra tempo?

Klug - Logo que a TOTVS se associou à ABII fiquei sabendo pelo Marcelo Gramigna Rodrigues (atual diretor da ABII e Product Manager na TOTVS). Assim, no 4º encontro da associação, em Florianópolis, participei pela primeira vez deste ecossistema. Foi uma experiência muito marcante. Conhecer todas aquelas pessoas compartilhando suas experiências, mostrou que era um lugar onde eu realmente queria estar. É uma atividade voluntária e que faço com muito prazer. Contudo, aproveito a troca de experiência entre os associados e levo para minha atividade profissional. Todas as tendências, novidades, estudos e experiências relacionadas à indústria que a ABII proporciona, servem de entrada para o meu papel como Product Owner do segmento de manufatura na TOTVS.


O que faz um líder de GT e qual foi a importância dos aprendizados no seu desenvolvimento profissional?

Klug - O líder de GT de Tecnologia conecta as pessoas voluntárias a fim de desenvolver as tarefas que são os objetivos do grupo. Afinal, identificar necessidade, gaps tecnológicos e definir arquiteturas de referência, demandam estudo e tempo. A ideia é aproveitar a vivência e experiência dos voluntários, para gerar um material de qualidade. E isso temos muito nos associados. Ser um líder de GT, proporciona desenvolvimento tanto pessoal quanto profissional. Você desenvolve tanto seu soft skills quanto o seu hard skills.


Na sua opinião qual a importância da ABII no atual contexto do País?

Klug - O Brasil tem um potencial de crescimento muito grande. Acelerar este crescimento é muito importante e este é um dos objetivos da ABII. Todos estes trabalhos desenvolvidos pelas pessoas da associação, ajudam as empresas do Brasil, a entender melhor como elas podem usar a tecnologia para melhorar na sua produtividade, além de promover uma produção cada vez mais sustentável.


Especificamente neste momento que ainda estamos enfrentando uma pandemia, qual foi e está sendo o papel da tecnologia?

Klug - A tecnologia está sendo fundamental neste momento que estamos passando. O distanciamento social, só ajudou a mostrar esta importância. Uma situação que demonstra isso é que, com a redução dos trabalhadores no local de trabalho, é fundamental que as máquinas tenham tecnologia cada vez mais avançada para trabalharem mais independentes. Temos um caminho com muito trabalho pela frente e precisa ser acelerado. E a pandemia proporcionou esse pensamento de urgência de adoção de novas tecnologias. Até mesmo para melhorar as condições de trabalho para as pessoas e não somente visando eficiência e produtividade.


Você acredita que vamos para um outro patamar de utilização das tecnologias da internet industrial e indústria 4.0 após a pandemia?

Klug - Sim, acredito. Até então a adoção de IIOT e I4.0 havia muitas barreiras. Acredito que pelo menos obstáculos como falta de informação e receio as mudanças devem diminuir muito. As empresas que tinham estes obstáculos, começam a procurar mais informações e entender que tecnologia é um fator que ajuda a manter suas operações. E agora vão buscar cada vez mais por ferramentas tecnológicas pensando no seu cenário. E isso já é um passo importante para o Brasil avançar e se tornar cada vez mais competitivo.


Qual a importância das pessoas na transformação digital?

Klug - A transformação digital só vai funcionar se as pessoas incorporarem uma cultura digital. Se as pessoas não compram a ideia, não adianta iniciar projetos ousados em transformação digital. E isso começa pela alta direção que precisa mostrar a importância da iniciativa para todos.


Quem é seu guru, sua grande inspiração na vida? O que aprendeu?

Klug - Não tenho uma única pessoa que me inspire. No presente momento e no passado, sempre procurei e procuro, absorver a experiência e ensinamento das pessoas com as quais tive e tenho contato. Afinal todos temos algo para compartilhar. E com certeza a minha família me influenciou muito, pai, mãe e irmãos. Cada um me passou características como coragem, persistência, honestidade, ética, etc. que foram muito importantes no meu crescimento pessoal e profissional.


Indique um livro (ou um filme, ou uma série, ou um site, ou um canal) que seja inspirador:

Klug - Como eu gosto de tecnologia, seja ela em qualquer segmento, acompanho as iniciativas de Elon Musk. Fico muito fascinado pelas tecnologias que suas empresas lançam no mercado. O livro "Elon Musk - Autor: Vance, Ashlee" particularmente gostei muito.


::: Veja informações sobre a série de painéis online que a ABII está realizando em 2020

Sobre a ABII


A Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), fundada em agosto de 2016, atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da indústria 4.0 e da IIoT (Industrial Internet of Things). Fomenta o debate entre setores privado, público e acadêmico, a colaboração e o intercâmbio tecnológico e de negócios com associações, empresas e instituições internacionais, a partir do desenvolvimento de tecnologias e inovação. A ABII é signatária do Acordo de Cooperação com o IIC (Industrial Internet Consortium), consórcio criado em 2014, nos Estados Unidos, com o mesmo fim, pela IBM, GE e Intel. Buscando inserir o Brasil nesta revolução, Pollux, Fiesc/Ciesc e Nidec GA (empresa detentora da marca Embraco) uniram-se para fundar a ABII.

#indústria40

#indústria

#IIoT

#entrevista

#internetindustrial

#ABII

#tecnologia

CONTATO

  • LinkedIn ícone social
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook Social Icon

© 2020 por Associação Brasileira de Internet Industrial