BLOG

  • Genara Rigotti

Erzinger investe na indústria 4.0 com uso de aplicativo de monitoramento


A Indústria 4.0 vem trazendo enormes mudanças na forma como as empresas fabricam, melhoram e distribuem seus produtos. Novas tecnologias estão se integrando cada vez mais ao chão de fábrica e ao pensamento estratégico das organizações, elevando seu nível produtivo.


Segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), as novas tecnologias da indústria 4.0 podem gerar uma economia de até R$ 73 bilhões ao ano. Destes, R$ 35 bilhões com o uso da inteligência artificial para a manutenção de equipamentos, R$ 31 bilhões com ganhos de eficiência e R$ 7 bilhões com economia de energia.


A Indústria 4.0 se utiliza de ferramentas digitais, Internet Industrial das Coisas e computação em nuvem, adicionando valor ao mercado com aumento da produtividade e inovação. É o caso da Erzinger, que está desenvolvendo uma solução, ainda como prova de conceito, mas que brevemente se tornará um produto da empresa.


Conheça a solução da Erzinger


A solução da Erzinger utiliza a tecnologia em nuvem para conectar os dados das linhas de produção da fábrica a um sistema centralizado de informações. O projeto foi desenvolvido em parceria com a empresa Hollox.


De acordo com Ricardo Fernandes, gerente de engenharia da Erzinger, nos últimos cinco anos, além das soluções de automação para atender os processos, a organização viu a necessidade de começar a integrar suas linhas nos conceitos de digitalização industrial, de conectividade e maior automação.


“A indústria 4.0 está acelerando todos os processos industriais”, destaca o gerente. Por isso, a empresa trabalha em uma plataforma para monitorar os equipamentos instalados em seus clientes nos mais diversos níveis de dados, sejam para áreas de manutenção, operação, utilidades ou gestão. "Estamos extraindo toda esta gama de dados dos equipamentos e levando para a nuvem. Ao utilizar a tecnologia da realidade aumentada permitimos, por meio do smartphone, ou tablets, que os operadores no chão de fábrica e outros do time de processos e gestão tenham acesso a todos os dados em tempo real de todas as linhas”, explica Fernandes.


Com esta nova tecnologia é possível tornar mais visível qualquer dado que precise de acompanhamento nas máquinas, inclusive permitindo ao operador a tomada de ação frente ao equipamento, se necessário. “A ideia é distribuir os QR Codes ao longo das linhas, para que os operadores com o aplicativo de monitoramento identifiquem na máquina as condições locais de trabalho de cada ponto”.


Qualquer colaborador que tenha acesso permitido pode ver na aplicação os dados, como temperaturas, pressão, dados produtivos, consumos energéticos, curvas, históricos tendências, entre outros, integrando a visão virtual com a ação real, diante do equipamento físico. É justamente a integração do virtual com o meio físico, ou seja, a realidade aumentada, que mostra os dados necessários para o processo.


Conheça as vantagens da tecnologia


Entre as vantagens da tecnologia, o executivo dá alguns exemplos: “se eu quero monitorar um determinado processo em alguma linha; por exemplo, dados de corrente, potência, rotação do motor, temperatura, entre outros, eu faço uso do aplicativo. É disponibilizada uma tag no local monitorado e o operador com o uso do aplicativo terá condições para fazer a verificação necessária. Basta o operador pegar o seu smartphone, abrir o aplicativo de monitoramento e ler os diversos QR Codes espalhados pela linha. Cada um trará os dados mais relevantes para aquela região de interesse”, comenta.

A nova tecnologia é importante para a empresa porque as pessoas têm diferentes visões de um mesmo processo, de acordo com Fernandes. Os gestores têm uma visão mais produtiva muito ligada a volumes e custos operacionais. Já o pessoal da manutenção visa manter a disponibilidade dos equipamentos, horas de operação e falhas, entre outros. E a equipe de processos tem outra perspectiva, a de atender aos requisitos da qualidade inerentes ao processo. Ou seja, a tecnologia permite que se faça a distinção na disposição de dados para cada segmento.


O maior ganho para os nossos clientes, segundo o gerente, é dar visibilidade a estas etapas mais sensíveis em cada um dos processos produtivos e auxiliar na tomada de decisão. Aliás, o aplicativo surgiu da demanda dos clientes. “A origem da ferramenta se deu por conta da demanda de muitos clientes que pediam painéis ou monitores espalhados nas linhas, para ver os dados em diversos locais. Porém com um conceito convencional além do alto custo relacionado a infraestrutura ficávamos limitados as rotinas de atualização e melhorias nos sistemas. Por isso, pensamos em uma maneira de oferecer este valor usando a tecnologia disponível”, explica o gerente. "Foi um ganho para ambas as partes, obviamente o apelo de ter novas tecnologias conectadas nos ajuda também no posicionamento no mercado.”


Para Fernandes, esta tecnologia, que hoje é um serviço dentro da ferramenta Smartinline® (plataforma Erzinger para Indústria 4.0) deve ser incorporada ao portfólio da empresa para comercialização entre outros clientes.

“Estamos adentrando no ambiente da Indústria 4.0 e certamente estaremos preparados para o novo futuro”, comemora Ricardo Fernandes.

Parceria com a ABII já dura cinco anos


A Erzinger é uma empresa que completou 43 anos em abril deste ano e é associada à ABII (Associação Brasileira de Internet Industrial) desde a fundação da entidade. Segundo Fernandes, o relacionamento com a ABII foi fundamental não apenas para avançar no caminho da realidade aumentada, mas também para as demais soluções ligadas a novas tecnologias aplicadas ao longo do tempo na empresa.


A Associação permite a troca de experiências entre as empresas e o surgimento de novas plataformas e aplicativos. E a parceria é bem relevante, tanto é que esta nova tecnologia surgiu do encontro com uma startup que está integrada no ecossistema.


“É uma forma de desenvolver mais rapidamente uma solução. No nosso caso, em um mês validamos a hipótese. Participar deste ecossistema agiliza muito o processo de desenvolvimento. Estamos expostos a um pool de fornecedores, recursos e experiências de várias empresas”, ressalta Fernandes.


Atuação da Erzinger no mercado


A Erzinger é a maior fabricante nacional de equipamentos para sistemas de pré-tratamento de superfícies, pintura e secagem de tinta líquida, a pó eletrostático e KTL (E-coat), voltados aos segmentos metal-mecânico, autopeças, moveleiro, plástico, eletroeletrônico, agroindustrial, entre outros.


“Ao longo do tempo desenvolvemos muita experiência no atendimento dos mais diversos segmentos, atuando no agronegócio, aeroespacial, automotivo, moveleiro, linha branca, implementos rodoviários, construção civil, entre outros. Em cada segmento o nível de exigências, especificações e adoção de tecnologias é diferenciado exigindo da empresa flexibilidade e velocidade para atender as demandas específicas de cada cliente” Pontua Fernandes


Entre algumas das soluções oferecidas estão:

  • Sistemas de pré-tratamento da superfície - podem ser realizados de forma contínua, por meio de um túnel de lavagem por SPRAY, ou por bateladas, onde as peças são acomodadas em um cesto que passa pelo processo sendo transportado por uma talha manual, ou um carro de transferência automático.

  • Cabines de pintura - preparação, captação e retenção de particulados em sistemas para aplicação de pintura líquida ou em pó. Os equipamentos são construídos com o mais alto padrão tecnológico, aliando menor custo operacional e maior qualidade ao produto final.

  • Estufas de secagem e cura de peças - realizam a secagem de peças para uma posterior aplicação de tintas ou também realizam o processo de cura ou polimerização para promover nas peças as funções de proteção e estética. São constituídas de sistemas de aquecimento e controles para maior homogeneidade e garantia de processos.

  • Sistemas de pintura E-coat / KTL - a pintura por eletrodeposição, também conhecida como E-coat/KTL, Cataforese, Eletroforese é um processo de pintura por imersão e visa um recobrimento contínuo e uniforme que confere uma excelente resistência química à corrosão em todas as peças.

  • Revestimento em esmaltação - Para a esmaltação à pó de peças planas, os reciprocadores eletrônicos com pistolas na posição horizontal, garantem a espessura ideal de pintura e uniformidade.

Se você quer descobrir como fazer parte do novo ecossistema da Indústria 4.0, entre em contato com a ABII.


Sobre a ABII


A Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), fundada em agosto de 2016, atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da indústria 4.0 e da IIoT (Industrial Internet of Things) no Brasil. Fomenta o debate entre setores privado, público e acadêmico, a colaboração e o intercâmbio tecnológico e de negócios com associações, empresas e instituições internacionais, a partir do desenvolvimento de tecnologias e inovação. A ABII é signatária do Acordo de Cooperação com o IIC (Industrial Internet Consortium), consórcio criado em 2014, nos Estados Unidos, com o mesmo fim, pela IBM, GE e Intel. Buscando inserir o Brasil nesta revolução, Pollux, Fiesc/Ciesc e Nidec GA (empresa detentora da marca Embraco) uniram-se para fundar a ABII.

126 visualizações