BLOG

  • Genara Rigotti

O que esperar da indústria 4.0 para o ano de 2021?


O ano de 2020 foi de muitos desafios para toda a humanidade, ano em que a pandemia do Coronavírus (Covid-19) assombrou os quatro cantos do planeta. As indústrias precisaram se reinventar e os processos de automação, que são pertinentes à indústria 4.0 ganharam grande destaque. E agora, o que esperar do ano de 2021? Quais serão os maiores desafios e oportunidades da indústria 4.0?


A equipe do renomado site americano Linchpin listou 10 tendências para a indústria 4.0 no ano de 2021 e a Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII) traz para você a íntegra dessas informações. Confira!


O que esperar dos rumos da indústria 4.0?


Fazendo um paralelo com o retrospecto histórico das revoluções industriais, é possível perceber que os rumos da inovação possuem um padrão específico, o que permite mensurar os impactos da transformação digital na indústria 4.0 do amanhã.


Durante a primeira revolução industrial as máquinas a vapor tiveram destaque na produção dos meios de consumo. A segunda revolução trouxe uma quebra de paradigmas, cujos impactos até hoje são visíveis: descoberta e utilização do aço, do petróleo, da eletricidade e da indústria química.


A transformação digital muda toda uma visão de mundo na terceira revolução industrial, com a ascensão da computação e da robótica. A quarta revolução, ou indústria 4.0, concretiza a entrada da tecnologia inteligente, que moderniza a indústria com sistemas autônomos, que são conectados à internet industrial.


O padrão que se desenha nas revoluções mostra que o papel humano na produção passa a ser cada vez mais intelectual e menos braçal. Ou seja, transfere para as máquinas o processo integral de produção.


Com base nesse contexto histórico, as tecnologias abaixo se mostram como tendência forte para o ano de 2021.


● Sustentabilidade energética


Uma utilização mais consciente dos recursos energéticos deverá ser pauta de destaque para muitas indústrias no ano de 2021. Não somente pela economia, mas principalmente pela sustentabilidade.


As indústrias já perceberam que agir de forma sustentável traz não apenas benefícios fiscais, por causa da harmonia com o meio ambiente, mas é também muito mais rentável.


Os sensores inteligentes permitem otimizar a utilização de energia dos equipamentos, o que consequentemente evita desperdícios, que causariam impactos negativos para o meio ambiente e também para o caixa.


● Internet das Coisas IoT


O que já vem crescendo nos últimos anos, deverá se acelerar ainda mais em 2021: a IoT (do inglês, Internet das Coisas) que seguirá em um ritmo crescente de adoção.


O que acontecerá é que o volume de possibilidades deverá ser muito maior, já que não é apenas o setor produtivo que pode ser beneficiado com a tecnologia.


Acessórios vestíveis e com um potencial maior de conectividade deverão complementar essa que é uma das principais tecnologias da indústria 4.0.


● Impressões 3D


As impressoras 3D, que sem dúvida já trouxeram significativos ganhos para a indústria 4.0, seguirão uma ascendente linha de adoção.


As impressões 3D estão permitindo que as indústrias atuem sob demanda, o que elimina a necessidade da sobrecarga de estoque e também a dependência de fornecedores externos, visto que podem produzir a própria matéria-prima.


Os designers de projetos 3D serão os novos profissionais que irão compor a nova leva de especialistas da indústria 4.0.


● Conectividade com o 5G


O 5G não é apenas importante para a futuro da indústria 4.0, ele é absolutamente necessário!


Em função do constante crescimento de dispositivos às linhas de produção e também um maior fluxo de informações circulantes, uma maior conectividade é fundamental para o bom funcionamento dos processos.


Os profissionais terão um contato remoto mais constante com os equipamentos, o que também demonstra a necessidade de uma conexão mais robusta.


● Conectando os operadores


A maior conectividade dos colaboradores com os processos industriais também é um fato que merece ser destacado.


A necessidade de se fazer presente para que um processo operacional passe a funcionar não mais existe. Atualmente, por conta das vantagens oferecidas, principalmente pela IoT, o trabalho remoto seguirá sendo uma tendência.


Crescimento esse que pode ser observado claramente durante o período da pandemia do Coronavírus.


● Computação em nuvem


Uma das tecnologias que já vêm sendo utilizadas há algum tempo, a computação em nuvem, deverá ser incorporada a praticamente todos os processos operacionais.


A tecnologia permite que os colaboradores acessem informações importantes de qualquer lugar do mundo e também elimina a necessidade de que haja um servidor local para armazenamento de dados.


A computação permite a interconectividade, para trazer informação para tudo e para todos, em qualquer hora e em qualquer lugar.


● Realidade aumentada e o Design de Produto


Os processos de produção terão uma aliada muito importante no próximo ano. Trata-se da realidade aumentada voltada para o design de produtos.


A tecnologia traz a experiência da observação de um equipamento antes mesmo de ele ser construído em forma de protótipo. Essa possibilidade irá reduzir os custos com os testes de funcionamento.


● Manutenção automatizada


Cada vez mais independentes e inteligentes, os equipamentos tornam-se cada vez mais autossuficientes para a realização de manutenções preventivas.


Isso quer dizer que, a autoleitura permitirá que os equipamentos identifiquem pontos que precisam de ajustes e os façam automaticamente, se forem reparos digitais, ou informem aos colaboradores, em caso de defeitos em peças físicas.


A computação de borda irá complementar esse processo, permitindo que o reparo de um equipamento não prejudique o funcionamento da linha de produção.


● Aprimoramento da Inteligência Artificial


Grande fruto da transformação digital, a IA (Inteligência Artificial) irá beneficiar os equipamentos industriais com software mais inteligentes e produtivos.


Esses equipamentos aprenderão com seus próprios processos, permitindo que se auto aperfeiçoem, identificando possibilidades de melhoria e também relatando com mais detalhes o progresso de sua operação.


● Experiência do consumidor


Uma tendência notável é a do aperfeiçoamento da experiência do consumidor. O que significa que os clientes serão trazidos para dentro do processo, para que as soluções sejam criadas sob medida!


A maior coleta de dados dos clientes permitirá que as soluções sejam elaboradas exatamente com base na necessidade de sua utilização e não por um padrão de réplicas.


Em contato com o amanhã


Você já percebeu a extrema necessidade de atualização, de consumir conteúdos de valor que prepararão sua empresa para vivenciar os desafios tecnológicos do amanhã, não é?


Por isso, continue lendo o blog da ABII e fique por dentro das principais novidades que envolvem a indústria 4.0 no Brasil e no mundo!


Se inovação é o seu lema e essa realidade já faz parte de seu negócio, então associe-se à ABII e esteja em constante contato com os maiores especialistas em indústria 4.0 do Brasil!


Sobre a ABII


A Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), fundada em agosto de 2016, atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da indústria 4.0 e da IIoT (Industrial Internet of Things) no Brasil. Fomenta o debate entre setores privado, público e acadêmico, a colaboração e o intercâmbio tecnológico e de negócios com associações, empresas e instituições internacionais, a partir do desenvolvimento de tecnologias e inovação. A ABII é signatária do Acordo de Cooperação com o IIC (Industrial Internet Consortium), consórcio criado em 2014, nos Estados Unidos, com o mesmo fim, pela IBM, GE e Intel. Buscando inserir o Brasil nesta revolução, Pollux, Fiesc/Ciesc e Nidec GA (empresa detentora da marca Embraco) uniram-se para fundar a ABII.